De acordo com a Associação Americana de Psicologia, os advogados, bem como juízes e promotores, sofrem 3,6 vezes mais de depressão do que os não advogados. Um estudo recente realizado com 12.825 advogados americanos verificou que 28% da amostra apresentava critérios para depressão, 19% para ansiedade, 23% para estresse e 20,6% fazia uso problemático de álcool. Além disso, há uma preocupação crescente com as significativas taxas de suicídio evidenciadas em advogados e profissionais da área jurídica.

Nós, do Brissac & Fonteles Advocacia, entendemos que a necessidade do acompanhamento especializado deve estar dissociado dos preconceitos que rondam a saúde mental desde sempre e em cujo exercício profissional não se permite falhas, insucessos, frustração, medo e com níveis cada vez mais elevados de autoexigência.

No Brasil há serviços públicos disponíveis para acolher aqueles em sofrimento psíquico, como os Centros de Atenção Psicossocial e as unidades de saúde do SUS (Sistema Único de Saúde). Outra unidade de referência no assunto é o Centro de Valorização da Vida (CVV), responsável por promover apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo gratuitamente, sob total sigilo, por telefone (188), e-mail e chat 24 horas todos os dias.

No Maranhão, especificamente, destacamos a Lei Estadual 11.192/2019, que institui a Política Estadual de Prevenção da Automutilação e do Suicídio no Estado. Esse normativo obriga o Poder Público a disponibilizar um espaço de escuta acolhedora e segura para os voluntários do Centro de Valorização da Vida – CVV, além do Estado ser obrigado a manter serviço telefônico em Centros de Atenção Psicossocial – CAPS, responsáveis pelo atendimento às pessoas em sofrimento psíquico.

Lembre-se: você não está sozinho.

Comunicação BFA